Posts Tagged ‘povo barulhento’

movido a música

08/04/2008

se tem uma coisa que eu gosto de fazer durante o meu dia, é ouvir música. sou praticamente movido a alguma melodia. trabalho melhor, me concentro melhor, se estiver ouvindo uma canção bacana, ou, no mínimo, cantarolando alguma coisa.

mas já tive alguns contratemos por conta disso. desde o colega me mandar calar a boca em sala de aula porque estava resmungando alguma música durante a prova, passando por um vestibular em que cantarolei “miss celie’s blues” o tempo todo, até ser olhado torto na rua, por pessoas provavelmente pensando que eu sofro de algum distúrbio mental sério.

e uma das minhas paixões também é cantar. não me preocupo se canto a letra corretamente, se troco as palavras, se invento frases novas, se desafino. é sempre assim: não posso ver uma rodinha de violão, que sinto uma vontade incontrolável de me juntar a eles. ainda mais se estiverem tocando músicas de bandas 80’s e 90’s, como legião urbana, paralamas do sucesso, kid abelha. ou, internacionalmente, nirvana, guns’n roses, pearl jam. ou mesmo mpb.

o fato é que a música sempre esteve presente na minha vida. me lembro bem do meu pai ouvindo “you got it”, do roy orbison e me ensinando a letra, quando eu tinha não mais que 9 anos de idade. dos meus tios ouvindo mestres da mpb e do samba, desde elis regina até beth carvalho, durante os churrascos da família, sempre com muita cerveja. lembro da minha avó materna cantarolando canções da sua época e ligando seu rádio antigo todo dia pela manhã, da minha avó paterna ouvindo seus hinos evangélicos (inclusive, uma das minhas maiores lembranças da infância é uma fita cassete que ela gravou pra mim, com músicas que até hoje sei a letra…), e da minha mãe, que, vira e mexe, ainda canta “a banda”, de chico buarque.

hoje, sinto o reflexo disso tudo quando eu me pego, por exemplo, tomando banho e cantando ” onde está aquele ‘povo barulhento’? onde está, que não se vê nenhum irmão? alguém com voz de lamento, vai dizer neste momento: ‘aquele povo foi embora pra sião…”